[RESENHA] Desejo Proibido um Romance da Sophie Jackson #1

14:14:00


Sinopse: Primeiro livro de uma trilogia, Desejo proibido é uma história de amor e redenção, de universos distantes que se aproximam e se fundem numa paixão avassaladora.
Seu amor é proibido, mas não pode ser ignorado.
Katherine Lane nasceu em berço de ouro. Filha e neta de senadores, a bela ruiva de olhos verdes e curvas perfeitas se formou em Literatura e surpreendeu a todos ao decidir dar aulas em uma penitenciária. Mas quando Carter, um detento inteligente e perigosamente sexy, desperta ao mesmo tempo a raiva e o desejo de Kat, ela é forçada a admitir para si mesma que a decisão de lhe dar aulas particulares pode ter sido motivada não pela generosidade, mas sim, pela crescente atração entre os dois.
Embora a família e os amigos de Kat temam que a paixão destrua sua carreira e sua vida, tudo o que ela quer é ficar com esse homem que a faz sentir-se completa. Porém, Carter guarda um segredo que tanto pode unir seus destinos para sempre quanto afastá-los de uma vez por todas.
Livro: 1/3 | Autora: Sophie Jackson | Páginas: 416 | Editora: Arqueiro
Ano Lançamento (BR): 2015 | Título Original: A Pound of Flehs 

       Desejo Proibido é um romance que conta a história de amor, e de superações individuais do Carter e da Katherine. Ela, que aos nove anos de idade presenciou a perda do pai, e quase foi morta pelos mesmos assassinos se o garoto Carter não a arrastasse de lá naquele momento.

Alguns anos mais tarde, a Katherine Lane cresceu uma mulher decidida, forte e independente, e resolveu trabalhar como professora em uma prisão. Sua escolha é na verdade uma forma de deixar o seu falecido pai, Daniel, feliz (o qual me pareceu ter sido uma pessoa boa e solidária) o que também a faz feliz. Se o Dani estivesse vivo na narrativa, com certeza eu teria gostado dele, fico o imaginando como um personagem sarcástico e que sempre fica ao lado dos mais fracos, sabe?

"Jack teve vontade de abraçar a Srta. Lane até sufocá-la quando ela ofereceu ajuda."

Sobre o Wesley Carter, primeiro: posso dizer que ele prefere que você o chame de Carter, segundo: não posso da muitos detalhes, pois o leitor vai descobrindo ele aos poucos: o que o levou a ser preso, o seu passado, o seu presente e que... ele se amarra em biscoito de Oreo, haha. Mas em relação à personalidade dele posso dizer que de todos (não muitos) os personagens masculinos que conheci desse gênero, o Carter com certeza foi o que mais me ganhou. Sabemos que ele tem um temperamento forte e é estressado, isso é verdade. Mas ele não é assim com a Kat. Carter deixou os momentos a dois deles bastante divertidos e me fez
sorrir pelo modo como ele ansiava pela Kat, e pelo modo como a tratou quando começaram a namorar. Ele é protetor sem ter aquele famoso ciúme que estraga tudo. Carter é o combo de: irmão mais velho + melhor amigo + namorado.

"— Onde estou? — Carter
— Você está na clínica da penitenciária, Wesley. — respondeu o médico. 
— É Carter. E quem diabos estava falando com você, doutor?"

       A narrativa é feita na terceira pessoa, o que ajuda a acompanharmos os pensamentos e atitudes dos dois. Também é bacana ver que a relação do casal é bastante pacifica, e que a única coisa que pode incomodá-los e causar problemas realmente é o fato de não poderem ter uma relação entre presos e professores, o que deixa a mente do leitor ainda mais eufórica. E é ai que o título começa a fazer sentido.

Realmente curti a história contada nesse livro, pois achei que a autora se esforçou pra desviar dos enredos clichês. E uma história que tem a escrita e a narrativa simples, mas que é diferente vale a pena ser lida! Fiquei imaginando várias coisas obvias que podiam acontecer nas páginas e que a autora preferiu diferenciar. É importante ressaltar que o livro contem relação sexual,e é mais importante ainda avisar que até isso teve uma narrativa mais fluente. A escritora tirou a ideia de que era só mais um livro que contém sexo, para um romance onde os personagens fazem amor. Não é apenas desejo.


"Ela estava bonita pra caralho, ele tinha que admitir. Ele tinha certeza que ela fazia de propósito, só para atormentá-lo."

Nas obras que li anteriormente, o casal sempre tinham que ficar brigando e encontrando motivos pra se separarem. Já em Desejo Proibido, eles, principalmente a Kat está sempre convencendo o Carter de que ele é uma ótima pessoa e que os dois merecem ficarem juntos. É claro que nas primeiras páginas do livro acompanhamos toda aquela jogada deles se conhecendo e do Carter ter que “abaixar a crista” dele, afinal de contas, quem manda na sala é a professora! E não, não tem nada envolvendo marxismo nisso, é só que, como eu disse antes o Carter não gosta de ser mandado.

 "Ela sacudiu a cabaça para afastar os pensamentos inapropriados; Principalmente aquele em que ela passeava com a língua pela tatuagem negra, que a provocava sem misericórdia, no pescoço ele. Ela ficou pensando em até onde o desenho iria..."

Ainda falando sobre esses momentos, a escritora fez um ótimo trabalho com eles (e com personagens secundários também). Percebi que o Carter tem uma presença bastante marcante, em todo momento o livro. Ele é aquele tipo de pessoa que você pode está na fila do banco, mas vai notar a sua chegada. Não sei dizer como ela fez isso, mas resultou em um ótimo trabalho. A Kat lembrou-me um pouco as personagens femininas do gênero chick-lit. Ela é divertida, independente, corre atrás do que quer e é bem solta, sabe? Descontraída. Quando decide alguma coisa não tem quem a impeça, e quando é desafiada ele ergue o queixo e mostra que é capaz.


"Ele estava devastado, destruído; e Kat odiava estar impotente e não conseguir ajudá-lo a se recompor."


Sobre a minha pontuação dada a essa obra, de início seria cinco, até eu notar que os três livros seguintes não é a continuação do romance de Kat e do Carter. Eu achei que seria porque a história (a meu ver) terminou com algumas pontas soltas, vagas, sem muitos detalhes... Dando a entender que teria uma sequência.

Obrigada pela sua visita Baby. Até o próximo post! 

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários