; //]]>

22/08/2016


 Como meus Confidentes estão? Espero que estejam bem e caso não estejam, vamos conversar?

Falar desse assunto com certeza é desconfortante para a maioria das pessoas, ao pensar em todas as milhares de mortes, nas crianças que sofreram, no preconceito religioso e da cor de pele... E todas as coisas banais que passavam pelas mentes daqueles seres terríveis! Com certeza nada que eu tente imaginar vai se comprar ao que as vitimas do holocausto passaram! Mas é importante falar sobre isso, para que nós e nossos futuros Serumaninhos possamos lembrar e saber das coisas que nossos antepassados sofreram (que as vezes parece ficção de tão monstruoso) e que nós não podemos deixar que voltem a acontecer! Sabemos que graças a eles (infelizmente de uma forma extremamente cruel) muitas coisas foram conquistadas, e que hoje nem notamos. Mas enfim....

Do quadro Listando 5 (que venho atualizando constantemente), trouxe 5 (sério?! rs) livros com essa temática. Eu ainda não li nenhum deles porque sinto que não estou preparada para isso ainda, mas sei que é uma meta da minha vida ler no minimo um desses livros. Sei que eles irão me detonar, mas acredito que quando lemos/assistirmos esse tipo de realidade, prendemos muitas coisas importantes!


1. Os Bebês de Auschwitz


SINOPSE: Em 1944, Priska, Rachel e Hanka chegaram a Auschwitz determinadas a sobreviver e a defender a vida dos bebês que levavam em seus ventres. Em Os bebês de Auschwitz, Wendy Holden narra as histórias dessas jovens judias que resistiram bravamente ao horror dos campos de concentração e aos trabalhos forçados na esperança de conhecerem seus filhos. Além de investigar o passado, Holden acompanhou o reencontro de Eva, Mark e Hana, os três sobreviventes nascidos dentro das instalações nazistas.

Holden equilibra a pesquisa rigorosa e a escrita sensível para reconstituir as vidas de Priska, Rachel e Anka antes de 1938, quando Hitler começou a impor restrições aos judeus. Entre o medo do avanço Reich e a esperança pelo fim da guerra, essas mulheres viveram seus primeiros amores, se casaram e sonharam com o futuro de suas famílias apesar do futuro sombrio que se desenhava.

Priska e Tibor, Rachel e Monik, e Hanka e Bernd fizeram tudo ao seu alcance para permanecerem juntos, mas com a deportação para Auschwitz-Birkenau os casais foram separados. Cada uma das mulheres se viu responsável por lutar por sua vida e pela de seu bebê. Elas receberam caridades inesperadas, foram vistas com desconfiança e testemunharam o melhor e pior do que o ser humano é capaz.

Wendy Holden recorreu a entrevistas, cartas e diários, criando um relato comovente, que detalha a eficiência com a qual os nazistas exterminaram milhares de judeus e mostra como pequenos gestos de solidariedade permitiram que várias vidas fossem salvas. Mais que um relato sobre o horror da guerra, Os bebês de Auschwitz é narrativa impressionante sobre o amor materno, a persistência, a coragem e a gratidão.

Autor: Wendy Holden | Páginas: 368 | Ano: 2015 | Editora: Globo | Gênero: Drama, Não-ficção



2. O Menino da Lista de Schidler



SINOPSE: Misto de biografia e romance de formação, O menino da lista de Schindler acompanha a trajetória de Leon Leyson, o mais jovem integrante e um dos últimos sobreviventes da famosa lista de judeus salvos pelo empresário alemão Oskar Schindler durante a Segunda Guerra Mundial.
   Intenso como O diário de Anne Frank, o livro chega ao Brasil pelo selo Rocco Jovens Leitores depois de alcançar a prestigiosa lista dos mais vendidos do jornal The New York Times, e oferece uma perspectiva única do Holocausto. Um relato emocionante, corajoso e humano que precisa ser contado às novas gerações.


Autor: Leon Leyson | Páginas: 256 | Ano: 2014 | Editora: Rocco | Gênero: Drama 


3. Depois de Auschwitz 



SINOPSE: Em seu aniversário de quinze anos, Eva é enviada para Auschwitz. Sua sobrevivência depende da sorte, da sua própria determinação e do amor de sua mãe, Fritzi. Quando Auschwitz é extinto, mãe e filha iniciam a longa jornada de volta para casa. Elas procuram desesperadamente pelo pai e pelo irmão de Eva, de quem haviam se separado. A notícia veio alguns meses depois: tragicamente, os dois foram mortos.
   Este é um depoimento honesto e doloroso de uma pessoa que sobreviveu ao Holocausto. As lembranças e descrições de Eva são sensíveis e vívidas, e seu relato traz o horror para tão perto quanto poderia estar. Mas também traz a luta de Eva para viver carregando o peso de seu terrível passado, ao mesmo tempo em que inspira e motiva pessoas com sua mensagem de perseverança e de respeito ao próximo – e ainda dá continuidade ao trabalho de seu padrasto Otto, pai de Anne Frank, garantindo que o legado de Anne nunca seja esquecido.

Autor: Eva Schloss | Páginas: 304 | Ano: 2013 | Editora: Universo dos Livros | Gênero: Não-ficção / Biografia, Autobiografia

4. Eu Sou o Último Judeu



SINOPSE: Nenhum campo de extermínio foi tão longe na racionalização do assassinato em massa quanto Treblinka. Lá, cerca de 750.000 judeus foram mortos. Apenas 57 sobreviveram. Chil Rajchman foi um deles. Por dez meses, sobreviveu ao absoluto terror. Carregou cadáveres em decomposição. Extraiu dentes dos mortos para que os nazistas aproveitassem o ouro, lavando-os em vasilhas cujos restos de água sanguinolenta mataram a sede de outros prisioneiros. Testemunhou suicídios, empalamentos, centenas de execuções. Foi chicoteado diariamente, teve tifo, sarna. Em agosto de 1943, Chil e outros prisioneiros conseguiram pôr em prática um plano de revolta.

   Ele foi um dos últimos judeus a escapar de Treblinka. Seu relato avassalador e detalhado, escrito ainda durante a guerra e até agora inédito, vem a público acompanhado por fotografias, mapas e a planta do campo de extermínio. Um importante testemunho do que preferíamos esquecer, mas não podemos. 



Autor: Chil Rajchman | Páginas: 152 | Ano: 2010 | Editora: Zahar | Gênero: Biografia, Autobiografia, Drama


5. O Diário de Anne Frank



SINOPSE: 12 de junho de 1942 1º de agosto de 1944. Ao longo deste período, a jovem Anne Frank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. Ao fim de longos dias de silêncio e medo aterrorizante, eles foram descobertos pelos nazistas e deportados para campos de concentração. Anne inicialmente foi para Auschwitz, e mais tarde para Bergen-Belsen.
   A força da narrativa de Anne, com impressionantes relatos das atrocidades e horrores cometidos contra os judeus, faz deste livro um precioso documento. Seu diário já foi traduzido para 67 línguas, e é um dos livros mais lidos do mundo. Ele destaca sentimentos, aflições e pequenas alegrias de uma vida incomum, problemas da transformação da menina em mulher, o despertar do amor, a fé inabalável na religião e, principalmente, revela a rara nobreza de um espírito amadurecido no sofrimento. Um retrato da menina por trás do mito.


Autor: Anne Frank | Páginas: 378 | Editora: BestBolso | Gênero: Biografia, Autobiografia.


Vocês conhecem mais livros assim, ou já leu algum dos citados acima? Fala ai no comentários ou lá no Instagram! XoXo 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário