; //]]>

15/04/2016

[RESENHA] Garoto Encontra Garota — Meg Cabot



      Garoto Encontra Garota tem uma narrativa diferente, mas do mesmo modo como o leitor se adapta com a leitura em primeira e terceira pessoa, vai se acostumar fácil fácil.
    Acho que o título poderia ser outro. Como o livro é narrado com emails, ligações, recados, entre outros meios, descobrimos  muito mais coisas do que apenas a vida da Kate — que vai se deteriorando de um modo dramático e cômico.
      Tudo começa quando a personagem principal Kate Mackenzie escreve um email demitindo a Sra. Ida Lopez, que por sinal todo mundo do The New York Jornal (local de trabalho das duas personagens) adora. Sabendo dos seus direitos, a Querida Senhora dos Biscoitos Irresistíveis entra com um processo contra o jornal. Com isso conhecemos a Amy Jenkins, ou como Kate e sua melhor amiga Jen, a chamam: TPM (Tirana Pervesa e Maldosa) diretora da empresa, e que está noiva do Stuart Hertzog, irmão do advogado que irá defende-lá.
       Então nos é apresentado o Mitchel Hertzog, o filho mais novo e ex-advogado publico. Ele tem uma mãe e um irmão preconceituosos, uma irmã mais nova que está se descobrindo, um pai que tirou férias depois de ter tido um infarte, e nos sobra a irmã mais velha - que juntos (mesmo que todos descordem) formam a dupla com mais sanidade durante a trama.





   Os emails, recados na secretaria eletrônica, bilhetes, e ligações são trocados entre eles, e outros personagens que vão se infiltrando na história. Com isso vamos descobrindo um pouco da vida e das situações engraçadas de cada um deles.

   A Kate é uma personagem que chega ao mais próximo de um "ser humano da vida real". Ou seja, que não entra na lista dos clichês e que não faz coisas que ninguém fária de verdade. Terminou de romper um namoro de dez anos porque o parceiro não queria assumir um relacionamento mais serio. Está morando no sofá da melhor amiga - que está tentando engravidar, e por mais que ache que a sua situação só ficou mais catastrófica ao conhecer o Mitch, ele é na verdade a corrente que suspende a sua âncora. Liberando o seu barquinho da costa, ahaha.




      Já o Mitch, ou Mitchel como todos o chama, faz o estilo irmão mais novo que prefere ser feliz a tentar agradar a sociedade da qual a mãe participa. Precisou parar de trabalhar para as pessoas que não podiam pagar um advogado quando seu pai sofreu um infarte, assim, assumindo o posto dele na empresa da família. É considerado pelo irmão mais velho (Stuart) um irresponsável, e uma má influência. Mas quando o leitor começa a conhecer melhor cada personagem, você percebe que o único mala da história é o Stuart.
   Todos se conectam quando Micth, atendendo ao pedido o irmão se torna o advogado da sua cunhada - mas na verdade ele só quer mostrar ao seu irmão metido e orgulhoso que a sua noiva é - literalmente - um anjo que caiu do céu. Se é que vocês me entendem. E se existe alguém que merece ser processada é ela.




     Talvez possa parecer cansativo, mas apesar de todo o assunto de advogacia e pela grossura do livro, é tudo bem por alto. E as páginas variam (como eu disse antes) desde anúncios de emprego até as páginas mais preenchidas que são do diário da Kate.




     Essa comédia romântica da de dez a zero naqueles filmes que passam na TV a tarde ou aos domingos. Me divertir lendo e terminei até mais rápido do que esperava. Ah, também foi o primeiro livro que li da autora.

"Bom, sei lá. É isso. Vê se relaxa, e não deixa o sistema acabar com você." — Dale Carter (Pág: 191) 

PS: Já ficou claro que tenho uma queda por personagens engraçados e determinados, e o personagem da vez é o Dale. Ele é o ex da Kate e passa toda a trama ajudando a Jen a dar o toque humorístico. Mas as vezes ele fala algumas coisas que toca o nosso coraçãozinho! ❤

"Quer dizer, a vida não é isso mesmo? Um desfile de moda?" - Dale Carter (Pág: 225)

Autora: Meg Cabot
Páginas: 399
Editora: Galera Record
Avaliação: 3/5
Gênero: Chick lit


Instagram Literário Skoob / Fanpage / Twitter  
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário