RESENHA: Um Lugar Para Ficar

10:00:00

SINOPSE: O relacionamento de Clara com Christian é intenso desde o começo e diferente de tudo o que ela já havia experimentado. No entanto, o que começa como um grande afeto rapidamente se transforma em obsessão, e já é muito tarde quando Clara percebe que as coisas foram longe demais e que Christian está disposto a fazer de tudo para ficar ao seu lado. Então, Clara parte da cidade e Christian fica para trás. Ninguém sabe onde ela está, mas, mesmo assim, Clara ainda luta para se livrar do medo. Ela sabe que Christian não vai permitir que ela suma tão facilmente. Não importa para onde ela vá, nunca será longe o bastante.


RESENHA: Clara Oates (ou Pea como seu pai costuma a chamar.) É uma garota atormentada, não só pelas lembranças, mas pela costuma perseguição do seus ex namorado Christian. Seu pai exausto dessa situação decide que eles precisam ir embora da cidade, e os dois saem sem dizer para ninguém aonde estão indo, por questões de segurança.
     Os capítulos vão alternando entre o passado e o presente. No capítulo passado, conta como, e o que aconteceu com a protagonista, e o seu ex-namorado Christian. No capítulo presente, narra a tentativa de ter uma vida em em paz, longe do cara que vivia a perseguindo, sobre os segredos que vão aparecendo aos poucos sobre seus pais, e as pessoas novas que surgem em sua vida.
     Os dois chegam numa pequena cidade, Bishop Rock, onde em busca de emprego, Clara conhece Finn no ancoradouro. Com receio de seus últimos relacionamentos não terem dado certo, ela se torna uma pessoa bastante cuidadosa, como se estivesse em cima de um vidro num penhasco, e qualquer atitude pudesse racha-lo fazendo-a cair. 
     Um Lugar Para Ficar é um livro envolvente, e aborta um tema que vem atormentando principalmente as mulheres, e garotas, na atualidade, quando, ao fim de um relacionamento o parceiro não aceita a decisão.



     O começo pode parecer um pouco cansativo, mas é só questão de tempo para você começar a juntar as peças, e perceber como a narrativa funciona.
     A relação entre pai e filha foi uma das coias que mais admirei no livro. Os dois apoiam um ao outro, estão sempre inventando uma atividade divertida, quase sempre relacionada a mistério. Clara também descobre que seu pai tem medo do mar, e começa a duvidar sobre a real causa da morte da sua mãe, e se ela e o seu pai realmente se conhecem.
     O livro tem um pouco de mistério, momentos divertidos. Não é tão dramático como a capa, ou até mesmo o nome faz parecer. Algumas histórias "sombrias" que o Finn contava até conseguiram mexer comigo, haha. Mas também é um livro que te faz pensar melhor sobre a vida, nas nossas atitudes, e que muitas vezes não precisamos do perdão de outras pessoas, mas do nosso. E posso dizer que, nem que as palavras sábias da Anabelle me fizeram olhar com "outros olhos".



CAPA: Em Relação de material, apesar de não chamar muita atenção, o titulo e a capa são perfeitos para a história — depois que você finaliza a leitura. A sinopse, eu não sei se era a intenção da escritora, mas é meio focada no Christian, sendo que o livro conquista mais o leitor quando o assunto é a nova vida de Clara em Bishop Rock.



























       "Cada um vai aos confins da Terra por suas próprias razões" — Anabelle Aurora.

Autora: Deb Caletti
Editora: Novo Conceito
Nota: 4/5

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários